O que fazer se o teu bebé tiver refluxo gastroesofágico?

,
Bebés com refluxo. Mifarma

Estás preocupado(a) com o refluxo gastroesofágico do teu bebé? Durante os primeiros anos de vida, este distúrbio poderá surgir com alguma frequência, principalmente se optares por não amamentar. Queres saber o que podes fazer relativamente a isso?

É possível que te apercebas que, depois de comer, o teu bebé vomita ou que tenhas a sensação de que o leite que ele ingeriu transbordou e saiu pela boca novamente. Isso é o então chamado “refluxo gastroesofágico”.

A imaturidade do trato intestinal nos bebés, a dificuldade em fazer corretamente a digestão e a alergia ao leite ou a qualquer outro tipo de alimento podem causar, frequentemente, esses sintomas no teu bebé, o que origina alguma dificuldade para que ele amamente e para que ganhe peso.

Embora os pais costumem sofrer ao ver os filhos com esse tipo de desconforto, esta situação não é preocupante se só acontecer após a refeição. Contudo, se acontecer com mais frequência, poderá comprometer o desenvolvimento do teu bebé, pelo que deverá ser examinado por um pediatra.

Contamos-te, a seguir, o que fazer se o teu bebé tiver refluxo gastroesofágico. Vamos a isso!

Recomendações e conselhos

Às vezes, o vómito associado ao refluxo pode nos fazer duvidar acerca do problema subjacente. Será que se deve ao refluxo? A comida não tem sido bem digerida pelo bebé? Tem alguma outra doença ou alergia que esteja a causar esses vómitos?

Lucia Galán, pediatra e divulgadora científica, explica, no seu blog, quais são os sinais de alerta quando o bebé vomita e o que os pais devem fazer para ficarem mais tranquilos.

Do nosso lado, como especialistas farmacêuticos, partilhamos contigo um conjunto de dicas e recomendações que te serão muito úteis se o teu bebé tiver refluxo esofágico:

 

  1. Não esperes que ele chore: responde atempadamente aos seus sinais de fome. Ouvir os seus sinais evitará que o bebé fique agitado, porque quando chorar, já será tarde demais. Além disso, desta forma, ele não ficará stressado ​​e evitarás que ele se agarre com demasiada força e engula mais ar do que o normal, o que poderá causar, posteriormente, dor. Para evitar isso, tenta aumentar a frequência da amamentação, mas, se não te for possível e chegares  a essa situação, não te esqueças que, antes de mamar, a primeira coisa que deverás fazer será acalmá-lo.

 

  1. A amamentação deve ser pedida. Não deves, portanto, limitar nem forçar o teu filho a comer mais do que deseja. Isto é válido para quem amamenta e para quem dá o biberão, mas, para o segundo caso, importa salientar o seguinte: não é necessário que o teu bebé termine o seu biberão, pois isso poderá causar refluxo.

 

  1. Após a toma do leite, não o coloques em posição horizontal. Se possível, segura-o nos teus braços em posição vertical durante, pelo menos, 30 minutos. Se for necessário, deixa-o no carrinho ou no berço. É importante que fique na posição de 45 graus em relação à horizontal, ou seja, no mínimo numa posição semi-reclinada.

 

  1. Coloca a cabeça mais alta do que o estômago enquanto come. Desta forma, evitarás que o alimento regresse à boca devido à ação da gravidade.

 

  1. Após cada refeição, deves garantir que o bebé descanse e relaxe. Evita que ele se agite para prevenir tanto o vómito como o refluxo.

 

  1. Durante as refeições, faz com que o teu bebé arrote pelo menos duas ou três vezes. Se dás o biberão, escolhe o leite adequado para o teu bebé e eleva-o de forma a que a tetina fique cheia de leite para evitar que o ar entre. Por outro lado, evita usar chupeta durante muito tempo, pois isso também poderá fazer com que entre ar no estômago da criança.

 

  1. Também recomendamos que utilizes biberões específicos que tenham tetinas e válvulas anticólicas. Esses biberões são muito úteis para reduzir a entrada de ar, uma vez que os gases poderão piorar o problema.

 

  1. A fisioterapia especializada pode ser uma grande aliada para resolver certos tipos de refluxo. Isso pode ser parte de uma condição de cólica e os fisioterapeutas podem avaliar a hipomobilidade que interfere de alguma forma na funcionalidade do sistema digestivo.

 

Com essas dicas e conselhos, o refluxo do teu bebé deverá, em princípio, melhorar. Porém, se persistir, é aconselhável levá-lo ao pediatra para avaliação e receber o tratamento adequado.

Tratamentos para reduzir o refluxo gastroesofágico

Para saber se os tratamentos para reduzir o refluxo são indicados para o teu bebé, é primeiro necessário que conheças as diferenças entre o refluxo e o vómito que estão associados a outras causas.

Em primeiro lugar, no caso do vómito, costuma haver um esforço que acompanha esse ato, enquanto que, no refluxo, isso não acontece. Além disso, ao vomitar, o bebé pode apresentar sinais que indicam que não se está a sentir bem, como choro ou choramingar, enquanto que, no refluxo, o seu estado será normal, aparentemente, e não apresentará esse tipo de sinais.

No entanto, se o bebé apresenta frequentemente refluxo, este poderá causar irritação no esôfago e na laringe. Assim sendo, durante as situações de refluxo, o bebé poderá apresentar irritabilidade, choro excessivo, agitação, distúrbios do sono e recusa em tomar o biberão.

Remédios naturais

O pediatra poderá recomendar medicamentos que reduzam ou neutralizem o ácido no estômago das crianças, procurando assim tratar os sintomas associados ao refluxo gastroesofágico.

Mas, além dos tratamentos farmacêuticos que podem ser prescritos para o teu bebé, existem alguns remédios naturais que, apesar de não acabarem totalmente com o refluxo, são muito úteis para aliviar os sintomas que se podem produzir. Mesmo assim, é altamente recomendável consultares o teu pediatra antes de os dares às crianças.

Os remédios naturais mais eficazes são infusões de alcaçuz e chás de ervas com uma mistura de camomila, malvavisco, calêndula e tanchagem. Além disso, poderás adicionar uma colher de chá de argila verde em meio copo de água antes das refeições.

O refluxo, especialmente para pessoas que foram pais pela primeira vez há pouco tempo, é uma grande dor de cabeça devido ao desconforto que causa nas crianças. No entanto, na grande maioria dos casos, é apenas um incómodo temporário que desaparece quando o sistema digestivo do bebé ganha alguma força e se habitua ao novo funcionamento.

Apesar disso, tem em atenção ao seguinte: se, com todos os conselhos que te indicamos, a regurgitação não diminuir, o teu pediatra poderá recomendar-te certas fórmulas especialmente preparadas para evitá-la.

Em Mifarma, partilhamos sempre recomendações úteis e valiosas em termos de saúde como as de hoje, para saberes o que fazer se o teu bebé tem refluxo gastroesofágico. Partilha este artigo se o achaste interessante e fica ligado às nossas redes sociais para mais conselhos!

Reme Navarro Escrivá

Farmacêutica e Nutricionista. Licenciada em Farmácia na Universidade de Valencia no ano 2007, Licenciada em Nutrição na mesma universidade em 2009. Dedicada ao mundo da saúde e da farmácia há mais de 15 anos. De reunião em reunião, na Atida eu escrevo este blog sobre temas que considero interessantes para a saúde e cuidado pessoal.

0 comentários

Deixa o teu comentário

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *