Infeção por sarna ou escabiose

,
Sarna

A sarna, também conhecida como escabiose, é uma doença infeciosa da pele. Carateriza-se pela sua rápida disseminação, razão pela qual representa um risco em lugares como instituições de ensino, ginásios, lares e mesmo em casa. O objetivo deste artigo é ficar a saber mais sobre o assunto, a fim de o evitar.

O que é a sarna

A sarna é uma infestação causada pelo ectoparasita chamado ácaro da sarna, que vive fora do corpo. É um parasita obrigatório, uma vez que apenas pode sobreviver à custa do hospedeiro, ou seja, do ser humano. É um aracnídeo de forma oval com quatro pares de patas, tão pequeno que não pode ser visto a olho nu: mede entre 150 e 450 micrómetros, e as fêmeas são muito maiores do que os machos.

O ciclo de vida tem 4 fases: ovo, larva, ninfa e adulto. Os ovos eclodem em 2 a 3 dias e as larvas atingem a fase adulta em 17 dias. Isto é importante para o tratamento, como veremos mais adiante.

O nome científico é Sarcoptes scabiei, e a variedade que infeta os humanos é a hominis. Existem outros tipos de ácaros da sarna específicos para diferentes espécies de mamíferos, tanto domésticos como selvagens. Estes incluem canis, bovis, equi e sui, que parasitam cães, bovinos, cavalos e porcos respetivamente.

Está classificado na classe dos aracnídeos e na família Sarcoptidae. Saber o que é a sarna ajuda-nos a preveni-la, tanto nas pessoas como nos animais.

Sintomas e causas da sarna nos seres humanos

Explicámos que a sarna é uma doença altamente contagiosa e há mais de 300 milhões de casos de sarna em seres humanos em todo o mundo, todos os anos.

As fêmeas são atraídas pelo calor e odor do corpo e cavam túneis de vários milímetros de comprimento no estrato córneo, a camada mais superficial da pele. Aí depositam ovos e fezes, enquanto segregam substâncias que provocam uma reação alérgica. Após 20 dias, os ovos eclodem e os novos ácaros fazem mais túneis onde se reproduzem, num processo de expansão que dura várias semanas.

Manifestações

As lesões cutâneas e o prurido são os principais sintomas de sarna na pele. O calor produzido ao dormir, pelo exercício ou por um duche quente desencadeia a atividade dos ácaros e também a comichão. A comichão intensa à noite pode perturbar o sono.

As lesões podem ser muito variadas e encontram-se mais frequentemente entre os dedos, no interior dos cotovelos e pulsos e nas dobras do abdómen e nádegas.

O sintoma mais comum da sarna é uma erupção cutânea com eczema e pápulas, que pode evoluir para a formação de crostas. Podem aparecer nódulos castanhos na virilha, axilas e genitais. Os sulcos não são normalmente visíveis, mas em alguns casos é possível vê-los como linhas muito finas.

A sarna norueguesa é a forma de apresentação descrita em indivíduos imunossuprimidos por Danielsen e Boeck em 1948. Manifesta-se de forma mais grave, apresentando-se como placas espessas, extensas, cinzentas ou amareladas com uma distribuição simétrica. É uma variedade altamente contagiosa devido ao grande número de parasitas contidos nas lesões e pode complicar-se por lesões renais. É observada em casos de imunossupressão devido a diabetes, sida, cancro ou tratamento médico.

Diagnóstico

A conclusão de que o paciente tem sarna é baseada nos antecedentes e no exame físico. É importante perguntar sobre possíveis contactos, por exemplo, se existe uma condição semelhante na família ou na escola.

A inspeção das lesões cutâneas é frequentemente conclusiva, especialmente quando se encontram os sulcos nas zonas onde são caraterísticos. As lesões provocadas pelo coçar são comuns devido a uma comichão intensa, e podem estar superinfetadas. Em caso de dúvida, pode-se avaliar uma raspagem microscópica das lesões, que evidenciará os ácaros, os seus excrementos e os ovos.

Tratamento

Uma vez diagnosticada a sarna, o tratamento será direcionado para o alívio dos sintomas. O outro aspeto fundamental é suprimir a presença do ectoparasita e dos seus ovos através de escabicidas. Existem vários medicamentos para uso oral ou tópico, com diferentes mecanismos de ação e indicações.

Anti-histamínicos

São utilizados para aliviar a comichão, pois a presença de alergénios na pele pode persistir durante várias semanas após o ácaro da sarna ter sido eliminado. Podem ser administrados de forma tópica, em cremes medicamentados ou oralmente. Neste último caso, é preferível tomá-los à hora de dormir, uma vez que muitos causam sonolência. Os produtos calmantes do prurido, como a Loção Corporal Calamina da Ioox, podem ajudar, porque sentires-te bem agora está apenas à distância de um clique.

Tratamento de lesões

Cremes hidratantes ou cremes que contenham antibióticos são úteis para cicatrizar lesões e uma possível superinfeção causada pelo coçar. O Gel de Duche Pele Saudável do Instituto Español é perfeito para desfrutar de uma nova experiência de saúde e bem-estar. É um produto adequado para toda a família, pois hidrata, nutre e limpa a pele, acelerando a cicatrização. Tem ação antibacteriana e dermoprotetora, o que preserva o pH natural.

Preparações com enxofre

Este elemento, incorporado num veículo como a vaselina, destrói o ectoparasita e permite a sua fácil aplicação na pele. O precipitado de enxofre a 6 ou 10% é utilizado diariamente na zona afetada durante 3 dias. É um tratamento seguro, que pode ser utilizado em crianças pequenas e mulheres grávidas, embora tenha a desvantagem de emitir um odor forte.

Benzoato de benzilo

Esta substância numa loção a 25% elimina tanto os ácaros da sarna como os piolhos. É altamente eficaz e de fácil aplicação. É utilizado à noite e em todo o corpo, desde o pescoço até aos tornozelos. No dia seguinte, deve ser retirado com um banho.

Permetrina

É um medicamento eficaz em crianças mais velhas e adultos. É aplicado como um creme a 5% em todo o corpo e deixa-se atuar durante cerca de 10 horas, após as quais deve ser retirada com um banho. O tratamento deve ser repetido após 7 dias para matar larvas e ninfas. Não é adequado para crianças com menos de 2 anos.

Ivermectina

É um medicamento escabicida que se toma por via oral e é utilizado para eliminar várias ectoparasitoses. É o tratamento mais indicado nos casos de sarna norueguesa ou quando não se verifica resposta a outros fármacos.

Como ocorre o contágio da sarna?

A sarna é observada em qualquer pessoa, independentemente da raça, estrato socioeconómico ou grau de higiene pessoal. A sarna e o seu contágio é possível em todas as idades, embora a frequência seja maior nas crianças pequenas.

O período de incubação, desde a infeção até ao início dos sintomas, é de 2 a 6 semanas. A pessoa doente pode transmitir a doença desde o início desta fase e enquanto os ácaros da sarna e os seus ovos persistirem na pele. Isto ocorre principalmente através do contacto direto com pessoas infetadas. Os fatores de risco incluem a promiscuidade, uma vez que é considerada uma doença sexualmente transmissível.

A imunossupressão é um fator que facilita a transmissão e propagação dos ácaros da sarna, e pode agravar tanto os sintomas como a evolução da doença. A sarna e o seu contágio é uma questão relacionada com a aglomeração. A partilha de artigos pessoais como lençóis, toalhas ou vestuário também aumenta a probabilidade de contrair esta infeção.

A sarna também é contagiosa em locais que podem estar contaminados, como assentos em transportes públicos ou em auditórios. Isto porque o parasita pode sobreviver durante 24 horas fora do corpo humano se houver calor e humidade.

Conselhos para prevenir a escabiose

A rapidez com que esta doença se propaga obriga-nos a tomar certas medidas. Estas são essenciais para controlar os surtos em lares, escolas e instalações desportivas.

  • Evitar o contacto com pessoas infetadas ou a troca de artigos pessoais.
  • Todas as pessoas que tenham estado em contacto com a pessoa infetada devem ser testadas e tratadas se o resultado for positivo.
  • Para evitar a reinfeção, é essencial lavar a roupa, lençóis e toalhas da pessoa doente em água quente e durante três dias.
  • A limpeza a seco da roupa deve ser preferida em locais como lares, hospitais, ginásios e acampamentos.
  • Devem ser mantidas medidas de higiene adequadas nos locais de trabalho onde haja contacto com outras pessoas, como clínicas e hospitais, estabelecimentos de tatuagens e salões de cabeleireiro. Nestes estabelecimentos, devem ser utilizadas luvas e deve lavar-se as mãos com água e sabão de forma frequente.

A sarna é uma doença de rápida propagação, mas relativamente fácil de controlar. Tudo o que precisas de fazer é tomar certas precauções básicas que podes ficar a conhecer através das redes sociais e canais da Atida | Mifarma. Manteres-te atualizado sobre temas de saúde, como este e muitos outros, é o caminho para o bem-estar.

Reme Navarro Escrivá

Farmacêutica e Nutricionista. Licenciada em Farmácia na Universidade de Valencia no ano 2007, Licenciada em Nutrição na mesma universidade em 2009. Dedicada ao mundo da saúde e da farmácia há mais de 15 anos. De reunião em reunião, na Atida eu escrevo este blog sobre temas que considero interessantes para a saúde e cuidado pessoal.

0 comentários

Deixa o teu comentário

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *