Vegan

Ser vegan significa não comer animais ou produtos de origem animal. Mas não só: tornou-se um estilo de vida. Os vegans evitam, a todo o custo, a crueldade perante os animais e a sua exploração.

Em que consiste?

A sua forma de vida consiste em excluir do seu dia-a-dia todos aqueles elementos que possam ter interferido com o sofrimento dos animais. Assim, não usam calçado, roupa, cosméticos ou qualquer outra prática que lhes cause sofrimento ou morte. Assistir a eventos como corridas de cavalos, espetáculos de circo ou mesmo zoológicos não fazem parte das atividades de lazer dos vegans.

Os vegans também se opõem ao uso de animais em investigações, sejam elas militares, médicas ou cosméticas, e promovem alternativas mais eficientes e seguras.

No campo da alimentação vegan, não são consumidos marisco, peixe e carne. Também não fazem parte da alimentação vegan os produtos derivados de animais, como mel, ovos ou laticínios.

Isso pode soar de forma muito impactante nos países ocidentais, pois a nossa alimentação é baseada no consumo de animais e dos seus derivados. No entanto, o veganismo não é necessariamente restritivo, pois uma alimentação desse tipo pode ser tão variada quanto uma alimentação tradicional.

Como seria uma alimentação vegan saudável e equilibrada?

Além de todos os tipos de vegetais e frutas, numa alimentação vegan saudável e equilibrada, não poderão faltar os seguintes ingredientes:

1. Leguminosas

Ervilhas, lentilhas, feijão e grão de bico são essenciais. Mas, além disso, na alimentação vegan não devemos esquecer a soja e todos os seus derivados: miso, tempeh, tofu… Todos estes alimentos são ricos em vitaminas, minerais e proteínas. Também se caracterizam por ter um perfil de gordura mais saudável do que os produtos de origem animal.

Podes não saber, mas o amendoim também pertence à família das leguminosas e, embora o utilizemos como aperitivo, é um alimento fundamental da culinária asiática.

2. Frutos secos e sementes

Sementes de chia, linhaça, sésamo, sementes de girassol e abóbora, castanha do Brasil, macadâmia, pinhão, castanha de caju, avelã, amêndoa… Todos estes frutos secos são alguns dos grandes esquecidos na alimentação tradicional. No entanto, a nível culinário e nutritivo, são muito interessantes, pois proporcionam benefícios importantes para a saúde.

3. Cereais integrais

Massa, arroz, pão, bem como outros pseudocereais ou cereais são comuns nas dietas vegan. Podemos falar, por exemplo, de: quinoa, amaranto, cevada, milho, aveia…

Um dos alimentos mais populares é o seitã. Esta espécie de carne vegetal é muito rica em minerais e proteínas. É obtida a partir do glúten do trigo e faz parte da alimentação asiática há séculos.

4. Cogumelos

Qualquer tipo de cogumelo comestível também está incluído neste tipo de alimentação. Apesar da simplicidade, são muito versáteis e proporcionam pratos com nutrientes e sabor.

5. Algas

Os povos galegos, irlandeses e japoneses utilizam tradicionalmente as algas marinhas na sua gastronomia. São considerados vegetais do mar e têm uma forte presença na culinária vegan pelas suas propriedades nutricionais e pelo seu sabor característico.

Em Mifarma, queremos que saibas que qualquer pessoa poderá seguir uma alimentação vegan desde que seja bem planeada e equilibrada. Não te esqueças, por isso, de incluir todos estes grupos de alimentos para evitar carências nutricionais.

Reme Navarro Escrivá

Farmacéutica y Nutricionista. Licenciada en Farmacia en la Universidad de Valencia, Licenciada en Nutrición en la misma universidad. Dedicada al mundo de la salud y la farmacia desde hace mas de 15 años. Entre reunión y reunión en Mifarma escribo éste blog de los temas que considero interesantes para la salud y el cuidado personal