Diabetes gestacional

diabetes gestacional

Cada gravidez é uma revolução no corpo de uma mulher. Para além das mudanças físicas que são evidentes, ocorrem também mudanças internas. Algumas embelezam a pele e outras podem causar problemas, tais como a diabetes gestacional. 

O que é?

 

Quando falamos de diabetes gestacional referimo-nos à presença de altos níveis de açúcar no sangue, ou hiperglicemia. A diferença entre a diabetes tradicional e a diabetes gestacional é que esta última ocorre pela primeira vez durante a gravidez e em mulheres que antes não tinham diabetes.

Causas da diabetes gestacional: porque é que ocorre

 

A gravidez é considerada um estado diabetogénico, ou seja, o corpo sofre naturalmente um pequeno aumento dos níveis de açúcar no sangue. Isto é devido a uma razão puramente hormonal. Entre todas as hormonas que são descompensadas durante a gravidez, uma delas é o lactogénio placentário.

O que faz é tornar o trabalho da insulina mais difícil. Impede-a de levar adequadamente a glicose às células, e por isso aumenta o nível de açúcar no sangue. Quando o seu corpo não é capaz de controlar isso, ocorre a diabetes gestacional.

Para além da causa natural, existem também certos fatores de risco a ter em conta, tais como excesso de peso, ter sofrido de uma gravidez anterior, história familiar ou ter síndrome do ovário poliquístico.

Sintomas

 

Normalmente não há sintomas óbvios e os efeitos são geralmente ligeiros. É muito comum surgir uma vontade crescente de urinar e beber água. O açúcar é expulso na urina, por isso a hiperglicemia implica muita urina para poder eliminá-la. Isto, por sua vez, gera mais sede.

Estes sintomas ligeiros incluem também fadiga, visão turva ou náuseas e vómitos. No caso raro de complicações, podem ocorrer problemas mais graves tais como perturbações nervosas ou neuropatias.

Testes para o diagnóstico da diabetes gestacional

 

Entre a 24ª e 28ª semana de gravidez, é realizado o teste O’Sullivan. Não serve para diagnosticar, mas é válido para descartar a doença.

Consiste numa análise ao sangue seguida de um xarope contendo 50 gramas de glucose, seguido de outra análise ao sangue uma hora mais tarde. Se os valores forem 140 ou mais, serão necessários testes mais específicos, como por exemplo um teste de tolerância à glicose. Consiste numa colheita de sangue em jejum seguida de uma toma de um xarope contendo 100 gramas de glucose e na colheita de amostras de sangue de hora a hora durante três horas após a ingestão.

Tratamento da doença

 

O tratamento é o mesmo que para outros tipos de diabetes. Isto limita-se ao auto-controlo dos níveis de glicose, a uma dieta saudável, e a praticar desportos para mulheres grávidas, se possível. Se estas medidas não forem suficientes para controlar o açúcar no sangue, deve ser utilizada insulina de forma regular.

Em qualquer caso, não deve ficar preocupada. A diabetes gestacional afeta um pequeno número de mulheres e é geralmente uma condição ligeira que é bem controlada pelo sistema de saúde.

Reme Navarro Escrivá

Farmacêutica e Nutricionista. Licenciada em Farmácia na Universidade de Valencia no ano 2007, Licenciada em Nutrição na mesma universidade em 2009. Dedicada ao mundo da saúde e da farmácia há mais de 15 anos. De reunião em reunião, na Atida eu escrevo este blog sobre temas que considero interessantes para a saúde e cuidado pessoal.