Alergia ao pólen: sintomas e tratamentos mais eficazes

, ,
Alergia ao pólen

Com a chegada da primavera chegam também as alergias que, em maior ou menor grau, incomodam uma grande parte da população. Esta bela estação traz consigo desconfortos como conjuntivite, rinite e asma. Hoje falamos sobre como tratar a alergia ao pólen, conhecida como febre dos fenos.

O que é a alergia ao pólen?

A alergia ao pólen é uma doença causada por uma reação alérgica a diferentes tipos de pólen. São grãos minúsculos presentes tanto nas partes verdes como nas flores e contêm as células espermáticas que permitem a produção destas últimas.

Parecem um pó amarelo dentro da flor, mas uma vez suspensos no ar, são invisíveis e facilmente dispersos. Desta forma, uma vez na atmosfera, penetram no organismo e é por ele detetado como um agente nocivo. Acaba por produzir uma reação no sistema imunitário e segrega uma série de substâncias como a histamina, que provoca diferentes processos respiratórios como a asma ou a rinite. Mas também produz outros sintomas bem conhecidos, como espirros e olhos lacrimejantes.

Este tipo de alergia é claramente sazonal, já que a presença de pólen no ar é maior durante a primavera.

Causas da alergia ao pólen

Em Espanha, e também na Europa, as plantas que causam mais alergias são as que pertencem à família das gramíneas. A razão para que isto ocorra é a elevada alergenicidade dos seus pólenes e a sua ampla distribuição.

O seu período de polinização é muito longo porque cada espécie tem um período de floração diferente. Outros pólenes que causam alergia incluem os da oliveira, plátano de sombra, parietária, bétula e palmeira, mas há mais.

Assim sendo, a causa da alergia ao pólen é a exposição do organismo ao alergénio. Pode ocorrer em qualquer momento da vida, embora em muitos casos seja um componente genético. Portanto, vários membros de uma mesma família podem sofrer dos mesmos sintomas.

Sintomas da alergia ao pólen

O quadro clínico pode ser de curta duração e leve. Nestas situações, causa apenas desconforto nasal. Mas também pode produzir sintomas mais graves quando os olhos e o sistema respiratório são afetados.

Estamos a falar de rinoconjuntivite, que se carateriza por episódios de intenso corrimento nasal aquoso (rinorreia). São também acompanhados de comichão da mucosa nasal e congestão. Da mesma forma, podes sentir desconforto com a luz e os olhos avermelhados.

Se o quadro piorar, esta alergia manifesta-se como bronquite asmática, que se carateriza por uma espécie de pieira ao respirar e é acompanhada de tosse e dificuldade em respirar.

Os sintomas habituais são:

  • Comichão nos olhos
  • Lacrimejar constante
  • Vermelhidão e inchaço nos olhos
  • Comichão nasal
  • Espirros
  • Obstrução nasal
  • Fadiga
  • Tosse seca
  • Pieira no peito ao respirar
  • Dificuldade respiratória
  • Rinorreia
  • Congestão nasal

É, portanto, necessário tomar as precauções adequadas e adotar os cuidados necessários para mitigar estes desconfortos.

Como pode ser evitada?

Não é possível evitar as alergias. No entanto, podes tomar uma série de medidas para reduzir consideravelmente o contacto com o pólen. Isto irá ajudar-te a reduzir os sintomas associados. Toma nota!

  • Evita as atividades ao ar livre e saídas para o campo. Isto é importante nos dias em que a concentração de pólen no ar é elevada.
  • Sê extremamente higiénico com o rosto e mãos. Tenta refrescar o nariz e olhos com água com relativa frequência.
  • Fecha as janelas durante o dia. Para arejar uma divisão, não é necessário manter as janelas abertas durante duas horas, uma vez que cinco minutos é suficiente. É também uma boa ideia ter um ambiente interior que seja o mais húmido possível.
  • Limpa a casa frequentemente. Se possível, não utilizes uma vassoura, mas um aspirador; desta forma não agitarás as partículas. É também uma boa ideia usar um pano húmido para remover o pó.
  • Protege os olhos com óculos de sol.
  • Em dias de alta polinização, uma máscara pode ser um grande aliado.
  • Viaja no carro com as janelas fechadas. Tal como em casa, evitarás a exposição ao pólen. Um filtro de anti-pólen também irá ajudar.
  • Toma um duche e muda de roupa quando chegares a casa, após um longo período ao ar livre.
  • Os purificadores de ar são também grandes aliados em casa para reduzir a exposição a alergénios.
  • Evita o exercício intenso ao ar livre durante a época de máxima polinização.
  • Em dias de alta polinização, não cortes nem apares a relva.
  • Não estendas roupa ao ar livre em dias de polinização intensa.

Depois de aparecerem os sintomas, não te auto-mediques. Consulta o teu médico ou marca uma consulta com um alergologista para um tratamento especializado e abrangente.

Tratamentos para a alergia ao pólen

Os tratamentos mais comuns para os sintomas de alergia ao pólen são as vacinas e os anti-histamínicos. Em contraste, os corticóides orais estão cada vez mais em desuso.

Vacina para a alergia ao pólen

A vacina contra a alergia ao pólen é um tratamento de imunoterapia que modifica o ciclo natural da alergia e permite a tolerância ao pólen. Por outro lado, nas pessoas que sofrem de rinite alérgica, pode não conduzir à asma.

Esta vacina consiste em administrar repetidamente um extrato alergénico em doses crescentes de um ou mais pólenes até ser atingida a “dose de manutenção”. O objetivo é induzir tolerância ao alergénio e evitar os sintomas habituais nas exposições subsequentes.

Este tratamento requer uma prescrição de um especialista, que avaliará o caso com base nos resultados dos vários testes. Ao contrário dos medicamentos, que combatem os sintomas de uma forma genérica, as vacinas são tratamentos personalizados. É, portanto, necessário determinar primeiro o padrão de sensibilização de cada paciente.

Anti-histamínicos

O segundo pilar do tratamento da alergia ao pólen centra-se em aliviar os sintomas que esta provoca. Para este fim, são administrados diferentes medicamentos como corticóides e broncodilatadores, que aliviam os sintomas cutâneos e são indicados em casos de asma.

Por outro lado, podem ser utilizados outros produtos para tentar fazer desaparecer os sintomas ou reduzir a sua intensidade e frequência. Apresentamos alguns dos indicados.

  • Spray nasal. O Spray Aboca Fitonasal é para uso frequente. Ajuda na respiração em caso de alergia ou constipação e descongestiona o nariz entupido. Também descongestiona e protege a mucosa. Do mesmo modo, mantém o equilíbrio das secreções nasais e proporciona uma sensação rápida de nariz descongestionado. Aplica uma ou duas doses em cada narina e desfruta instantaneamente. Podes fazer isto várias vezes ao dia. 
  • Gotas oftalmológicas de dose única. O Vidisan Alergia com Ectoína é uma gota oftalmológica de dose única da Bausch&Lomb indicada para o tratamento e prevenção de alergias sazonais. Reduz eficazmente a comichão, o lacrimejar, a vermelhidão e a irritação. Além disso, a ectoína que contém protege o olho da ação dos alergénios. Os seus ingredientes também incluem ácido hialurónico, que tem propriedades estabilizadoras e hidratantes para a superfície ocular e, portanto, acalma o olho.

Remédios caseiros para a alergia ao pólen

Aqui estão alguns remédios caseiros para a alergia ao pólen.

Lavagem nasal com água e sal

Por vezes, mesmo que tenhas tomado todas as precauções possíveis, alguma poeira fica presa nas narinas. A mucosa é uma espécie de filtro que a retém e impede a sua entrada no corpo, mas também prolonga os sintomas.

Nestes casos, a lavagem nasal é muito eficaz. Podes comprar uma solução salina na nossa loja online ou fazeres a tua própria solução. Como? Segue estes passos.

  • Ferve meio litro de água e adiciona 5 gramas de sal (uma colher pequena).
  • Quando a solução tiver arrefecido, aplica-a com uma pera de borracha nas narinas. Lembra-te de que a cabeça deve estar ligeiramente inclinada para trás.
  • Por último, assoa o nariz e remove o muco e os alergénios que desencadeiam esta sintomatologia incómoda.

Chá de camomila

Para quem tem alergia ao pólen, é aconselhável usar óculos de sol no exterior. No entanto, o vento pode fazer com que o pólen afete os olhos, causando irritação, comichão, lacrimejar ou vermelhidão. Se isto te parecer familiar, recomendamos que laves os olhos o quanto antes e prepara um chá de camomila.

Aplica-o mergulhando uns algodões e colocando-os sobre os olhos. Isto irá reduzir a comichão e a inflamação quase imediatamente. Se tiveres alergias, podes fazê-lo diariamente, todas as noites, durante a época das alergias para remover qualquer pólen que permaneça nas pestanas.

Alimentos probióticos

Os alimentos probióticos reforçam o sistema imunitário e reduzem o efeito de uma reação alérgica ao pólen. O kefir e os iogurtes são alimentos que ajudam a abrandar a produção de imunoglobulina E, que é responsável por muitos sintomas. Por esta razão, recomendamos a sua incorporação na tua dieta.

Na Atida | Mifarma somos o destino para o teu bem-estar. Graças aos nossos conselhos, recomendações e produtos, tens tudo à distância de um clique. Entra na nossa loja online e alivia imediatamente os teus sintomas de alergia ao pólen.

Reme Navarro Escrivá

Farmacêutica e Nutricionista. Licenciada em Farmácia na Universidade de Valencia no ano 2007, Licenciada em Nutrição na mesma universidade em 2009. Dedicada ao mundo da saúde e da farmácia há mais de 15 anos. De reunião em reunião, na Atida eu escrevo este blog sobre temas que considero interessantes para a saúde e cuidado pessoal.

0 comentários

Deixa o teu comentário

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *