Que tipos de leite existem e qual é o mais adequado para consumir em cada caso?

, , ,
Tipos de leite

A variedade de tipos de leite que podemos encontrar no mercado é extremamente ampla. Responde a diferentes necessidades alimentares ou as preferências pessoais na dieta, pelo que não é apenas um tópico muito interessante como também útil para a nossa saúde. Assim sendo, vejamos como diferem e quais são as suas particularidades.

Propriedades do leite e a sua importância para a saúde

O sabor, a proporção de nutrientes, as vantagens e desvantagens devem orientar-nos na escolha do melhor leite a incorporar na nossa alimentação. Isto inclui o leite que iremos utilizar para receitas culinárias e é importante conhecer os benefícios desta bebida.

O leite é uma secreção de cor branca produzida pelas células mamárias de todos os mamíferos. Entre as caraterísticas do leite encontra-se a sua principal função, que é alimentar as crias. Consumimos vários tipos de leite de diferentes animais, embora seja mais comumente consumido por vacas. A sua composição inclui macronutrientes que são essenciais para o crescimento e para o bom funcionamento do organismo.

  • Gorduras, basicamente triglicéridos, numa proporção de 98%.
  • Proteínas de alto valor biológico, incluindo albumina, caseína e as contidas no soro, bem como imunoglobulinas.
  • Glícidos, que representam os açúcares. Encontram-se principalmente sob a forma de lactose, mas contêm pequenas quantidades de galactose, glucose e sacarose.
  • Vitaminas A, B, D3 e E.
  • A concentração de cálcio e vitamina D3.

Tipos de leite

Leite de origem animal

Já mencionámos que consumimos leite de vários mamíferos. Esta variedade corresponde a fatores climáticos e culturais, bem como à disponibilidade de gado na zona. O leite de vaca que conhecemos, cujo nome científico é Bos primigenius taurus, é o mais comummente utilizado devido ao seu volume de produção, fácil digestibilidade e sabor agradável.

Para saber quantos tipos de leite existem, podemos também mencionar cabras, ovelhas e búfalos. Na Ásia, também se consome o leite de égua e iaque, nos países do Médio Oriente consomem leite de camelo, no Ártico o leite de rena, e nos Andes o leite de lhama ou alpaca.

Leite de cabra

O leite de cabra é um pouco diferente do leite de vaca, tanto em composição como em sabor. Contém mais cloretos, o que o torna um pouco salgado. Por outro lado, apresenta um teor mais elevado de gordura, proteínas e vitamina B12, sendo mais baixo em hidratos de carbono e lactose.

É talvez o produto mais próximo do leite materno, e é mais fácil de digerir do que o leite de vaca.

Leite gordo

O leite de origem animal de vaca e gordo é o mais consumido. O teor de lípidos é igual ou superior a 3%. Algumas raças de gado produzem leite com 3,8% de matéria gorda. Depois do leite materno, é o leite mais adequado para promover o crescimento e desenvolvimento infantil.

Leite meio-gordo e magro

Nos leites meio-gordos, a percentagem de gordura situa-se entre 1,5 e 2%. O processo para reduzir a proporção destas substâncias é relativamente simples. O leite é deixado de pé para que a nata flutue e depois é centrifugado.

Este produto é ideal para quem deseja perder peso e para as crianças que têm tendência a engordar, uma vez que os nutrientes restantes são mantidos intactos. Está frequentemente disponível no mercado em formato fortificado com vitaminas.

A gordura pode estar completamente ausente no leite magro, uma vez que o teor de gordura varia entre 0 e 0,5%. São recomendados para pessoas com doenças cardiovasculares, síndrome metabólica, hipercolesterolemia e diabetes. No entanto, o processo industrial remove quase completamente as vitaminas lipossolúveis e os ácidos gordos essenciais, pelo que estas variedades não são adequadas para a alimentação infantil.

Leite sem lactose

A lactose é, como explicado acima, o açúcar natural que se encontra no leite. É composto por duas moléculas simples, glucose e galactose. Na maioria dos intestinos das pessoas existe uma enzima chamada lactase que cliva a lactose e permite que estas duas substâncias sejam absorvidas.

Quando os níveis enzimáticos são demasiado baixos, a lactose não é absorvida. A sua presença na flora intestinal gera uma série de perturbações manifestadas por diarreia, inchaço, flatulência e cólicas.

Para tornar o leite mais digerível nestes casos, pode ser tomada lactase. Desta forma, o processo que deve ocorrer no intestino acontece antes de o produto ser consumido. Por conseguinte, já não contém lactase, mas galactose e glucose, e esta é a razão do seu sabor doce.

Leite de crescimento

Estas são fórmulas fortificadas concebidas para uma nutrição ótima das crianças pequenas. Asseguram um fornecimento adequado de ferro, iodo, vitamina D e ácidos gordos ómega 3 nas pessoas com risco de défice destes elementos nutricionais. O artigo “Leite de crescimento ou leite de vaca, qual é mais aconselhável?” pode ajudar a esclarecer algumas dúvidas. O Leite de crescimento Nidina 4 é especialmente formulado para promover o desenvolvimento infantil a partir dos dois anos, graças às suas 13 vitaminas e minerais. É fácil de preparar e tem um sabor agradável. Fornece cálcio, ferro, iodo, potássio e zinco, assim como vitaminas A, C, B2, B12 e D.

Leite de origem vegetal

Neste caso, é muito importante estar ciente das definições. O termo “leite vegetal” não é o mais apropriado. A razão é que a regulamentação atual estabelece que o leite é o nome da secreção mamária fisiológica. Assim sendo, é correto utilizar os termos “bebida vegetal” ou “extrato de…” em vez dele. A exceção, como habitualmente acontece, é o leite de amêndoa, um termo que aparece no dicionário ao ter sido consagrado pelo uso.

Que tipos de leite existem? Conhecer estas bebidas é importante, pois podem ser uma alternativa para quem tem uma dieta pobre em gorduras, em dietas vegans ou quando há uma alergia ao leite de origem animal.

No entanto, o Dr. José Manuel Moreno, coordenador do Comité de Nutrição da Associação Espanhola de Pediatria, adverte-nos sobre o seu consumo em crianças: “estas bebidas vegetais não podem ser comparadas ao leite de vaca em termos do seu teor de proteínas ou do seu teor de minerais e vitaminas, pelo que não devem ser utilizadas como substitutos das bebidas lácteas”.

Leite de soja

O leite de soja tem a valiosa qualidade de ter o mais elevado teor proteico entre as bebidas de origem vegetal e que até é semelhante ao do leite de vaca. Apesar deste benefício, a constituição destas proteínas tem um défice a nível dos aminoácidos essenciais leucina, metionina, lisina e valina. Por outro lado, muitas marcas também acrescentam um reforço de cálcio e vitamina D.

Além disso, a bebida de soja fornece principalmente gorduras insaturadas, o que é outra vantagem, enquanto que o teor de açúcar varia de marca para marca, pelo que devemos ler atentamente o rótulo. Outro ingrediente interessante são as isoflavonas, substâncias vegetais que podem funcionar como estrogénios, o que em certos casos poderia reduzir os sintomas da perimenopausa. É possível desfrutar de uma nova experiência em saúde e bem-estar. A Bebida de Soja Ecológica da Soria Natural é pobre em gorduras saturadas e é benéfica para o sistema cardiovascular e para quem é intolerante à lactose. O seu teor de cálcio e magnésio previne a osteoporose.  É natural, sem conservantes nem corantes e os seus ingredientes provêm da agricultura biológica. Sentir-se bem agora é possível em apenas um clique.

Leite de arroz

O teor de proteínas e gorduras desta bebida é muito baixo, enquanto o teor de hidratos de carbono é elevado e muitas marcas adicionam açúcar. Em algumas marcas, a proporção é semelhante à de um refrigerante, o que é realmente elevado. A análise indica-nos o seguinte: contém 49 calorias, 1 grama de gordura, 9 gramas de hidratos de carbono e 0,2 gramas de proteína por 100 gramas de bebida.

O principal benefício desta bebida é que é feita a partir de arroz, um cereal que não causa nenhum tipo de alergias. Esta é uma caraterística muito benéfica para quem sofre de múltiplas intolerâncias. A Bebida Vegetal Arroz Cálcio Bio de NaturGreen é uma bebida 100% vegetal, sem lactose e glúten e baixo teor de sal. Adequada para vegetarianos, veganos e intolerantes à lactose.

Leite de amêndoa

O leite de amêndoa é uma das bebidas que, exteriormente, mais se assemelha ao leite de vaca, uma vez que é uma das mais espessas e com melhor sabor. Tem um baixo teor de proteínas, 1 a 2 gramas por copo em comparação com 8 gramas no leite de vaca. Fornece 27 calorias, 3 gramas de hidratos de carbono e 3 gramas de gordura por 100 gramas de bebida. O Leite de Amêndoa Mandorla Bio da Ecomil é uma bebida deliciosa à base de leite de amêndoa, sem lactose e sem glúten. Contém 7 % de amêndoa natural e xarope de agave, ingredientes provenientes da agricultura biológica.

Esperamos que tenhas ficado esclarecido em relação a todos os tipos de leite que existem e as diferenças entre eles. Na Atida | Mifarma, o caminho para o bem-estar, temos sempre as nossas redes sociais atualizadas. Os nossos canais são também uma fonte de informação que está disponível para responder a perguntas sobre muitos tópicos de saúde.

Reme Navarro Escrivá

Farmacêutica e Nutricionista. Licenciada em Farmácia na Universidade de Valencia no ano 2007, Licenciada em Nutrição na mesma universidade em 2009. Dedicada ao mundo da saúde e da farmácia há mais de 15 anos. De reunião em reunião, na Atida eu escrevo este blog sobre temas que considero interessantes para a saúde e cuidado pessoal.

0 comentários

Deixa o teu comentário

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *