10 conselhos de especialistas para reduzir a azia

,
Azia

Todos nós já experienciamos azia, arrotos, sensação de enfartamento… Estes sintomas estão relacionados com a azia e o refluxo, mas como podemos resolvê-los? É possível reduzir a azia se modificarmos o nosso estilo de vida? Vamos contar-lhe!

Quão comum é a azia?

A azia é uma das condições digestivas mais comuns em todo o mundo. As causas desta condição não são apenas digestivas ou derivadas de distúrbios como a obesidade. Também resultam do stress, refeições abundantes ou atividade física depois de comer. De igual forma, o consumo de tabaco e álcool e de certos alimentos picantes ou cítricos também favorecem esta sintomatologia. Alimentos gordos, fritos, panados, cebola, menta e chocolate atuam da mesma forma. Assim sendo, uma dieta saudável e equilibrada não só melhorará a sua saúde em geral, mas também a do seu estômago.

Por outro lado, lembre-se que se os seus sintomas se tornarem moderados ou graves, poderemos ter de começar a falar de refluxo. Neste caso, o que acontece é que o ácido gástrico passa do estômago para o esófago, o que já representa uma doença. Se for este o caso, precisará de alguns dos melhores remédios para tratar o refluxo à sua disposição antes de iniciar o tratamento médico.

Mas antes de chegar ao refluxo, a melhor opção é tentar combater a azia que pode estar a sentir com mais frequência.

10 conselhos para reduzir a azia

O desconforto causado pela azia faz com que muitas pessoas tentem prevenir ou evitá-la com produtos específicos. Na Atida Mifarma pode fazê-lo em apenas um clique graças ao nosso site.

Contudo, deve estar ciente de que isto nem sempre é necessário, uma vez que muitas vezes pode ser conseguido através da mudança de alguns hábitos. Assim sendo, gostaríamos de lhe oferecer 10 conselhos de diferentes especialistas para reduzir a azia.

1. Aprenda a comer 

Esta é uma das primeiras recomendações que receberá de qualquer profissional de saúde. Aprender a comer significa comer menos e mais frequentemente. Desta forma, evitará encher demasiado o estômago e exercer demasiada pressão sobre o esfíncter esofágico inferior (a válvula que separa o esófago do estômago).

De igual forma, é aconselhável comer devagar e de forma relaxada. Se é uma daquelas pessoas que come rápido, deve mudar os seus hábitos. Ao fazê-lo, o seu estômago enche-se muito rapidamente e isto conduz a um excesso de pressão.

Também não pode deixar de prestar atenção ao que come. Identifique quais os alimentos que desencadeiam ou agravam os sintomas da azia para que os possa evitar. Anteriormente, falámos de irritantes, como alimentos picantes, mas nem toda a gente é afetada pelos mesmos alimentos, e se são, não afetam necessariamente da mesma forma. Por exemplo, não falamos de vinagre ou de produtos à base de tomate, o que também o pode afetar. Por essa razão, é muito melhor prestar atenção ao seu corpo, tomar nota do que desencadeia os seus sintomas e evitá-los sempre que possível.

2. Tenha atenção à sua forma de comer 

Este conselho está relacionado com o anterior, embora, neste caso, ter atenção à forma como comemos significa evitar refeições abundantes a todo o custo. Quando festividades como o Natal se aproximam, é comum reunir-se com amigos, colegas de trabalho, do ginásio… E é aqui que se deve prestar atenção tanto ao que se come como à forma como se come.

Já mencionámos que é recomendado comer com mais frequência, mas em quantidades menores. Também, se puder, evite alimentos muito quentes ou muito frios. Pode neutralizar o ácido após as refeições, mascando pastilha elástica sem açúcar. 

Como é que isto é possível? Porque desta forma estará a promover a salivação. Isto neutralizará o excesso de ácido e, como resultado, acalmará o esófago e poderá evitar mais problemas. No entanto, evite pastilhas elásticas com sabor a menta, porque este sabor aumenta a acidez.

3. Confie em certos alimentos 

Depois de uma refeição abundante, pode comer uma maçã para sobremesa. Este é um remédio caseiro muito eficaz para reduzir a azia. De igual forma, as amêndoas cruas ajudam a equilibrar o pH.

4. Perca peso 

Para as pessoas que têm excesso de peso e sofrem de azia, é aconselhável perder alguns quilos. Porquê? Porque a obesidade aumenta a pressão abdominal e, como consequência, causará refluxo gastroesofágico.

Se levar uma vida sedentária, pode perder gordura com Zero Training. Se o considerar necessário, pode fazê-lo com a ajuda de um nutricionista. Também pode tomar infusões para emagrecer mais rápido.

5. Elimine a cafeína, o tabaco e o álcool. 

Estas substâncias aumentam os problemas gástricos. Portanto, após uma refeição pesada, em vez de café pode beber infusões de camomila ou meio copo de água com bicarbonato de sódio.

6. Pratique exercício e tenha atenção à sua postura

A pior altura para fazer exercício é logo depois de comer. Porquê? Porque o seu estômago precisa de tempo para digerir os alimentos e esvaziar-se. Se não permitir que o seu corpo descanse e trabalhe confortavelmente, e se fizer exercício, perturbará o processo. Como resultado, o risco de azia aumenta.

Por essa mesma razão, não deve beber bebidas carbonatadas ou refrigerantes com açúcar. O gás provocará arrotos e, como resultado, aumentará o refluxo do ácido gástrico e a azia.

Quanto à higiene postural, deve saber que também é relevante quando se apresentam estes sintomas. Deve ter atenção à sua postura ao longo do dia, mantendo uma posição direita ao caminhar. Mas é especialmente importante ter isto em mente ao dormir, pois deve estar ciente de que lhe será benéfico ter o tronco ligeiramente mais elevado do que o resto do seu corpo. Isto reduz a pressão sobre o esfíncter esofágico e alivia a azia noturna. Pode utilizar uma cunha ou uma almofada.

7. Não se deite imediatamente após comer 

Comer o jantar demasiado tarde é contraproducente. A nossa recomendação é que programe as suas refeições duas ou três horas antes de ir para a cama. O risco de não o fazer é o agravamento da azia, da acidez e do refluxo.

8. Controle o stress 

Os imprevistos costumam perturbar-nos e isto afeta inevitavelmente o nosso sistema digestivo. Se precisar de aprender a relaxar, pode fazê-lo com modalidades como a meditação, tai chi ou yoga.

Graças a estas técnicas, poderá enfrentar os seus problemas com mais calma.

9. Eleve a cabeceira da cama 

Já o mencionámos: comer e deitar-se não é de todo aconselhável. Como é óbvio, isto não é válido apenas para o jantar, mas também para depois do almoço. Embora em Espanha sermos os reis da sesta, especialmente aos fins-de-semana, não se deve fazê-lo imediatamente.

Os peritos de Harvard sugerem que é melhor permanecer erguido após as refeições para evitar o aumento da pressão gástrica sobre o esófago. Além disso, também dá tempo para a digestão.

Elevar a cabeceira da cama cerca de 15 centímetros reduz a possibilidade de refluxo. Como se pode elevar a cama se ela não for articulada? Coloque alguns blocos de madeira debaixo das pernas ou utilize uma cunha para se encostar sobre ela.

Não o aconselhamos a dormir com almofadas extra, uma vez que estas podem mover-se durante a noite.

10. Vista roupa larga

Se sofrer desta doença, recomendamos que evite calças e cintos apertados à volta da cintura, uma vez que isto pode dificultar o processo de digestão. Em vez disso, deve utilizar roupas que não lhe provoquem demasiada pressão.

Conselhos adicionais

Se estiver a tomar medicamentos, poderá ter de consultar o seu médico, uma vez que alguns podem piorar ou causar o refluxo. Trata-se de que tipo de medicamentos? Alguns antibióticos e certos antidepressivos. Assim sendo, se não tiver a certeza sobre a origem da sua azia, é melhor consultar um profissional de saúde.

Os especialistas em digestão dir-lhe-ão se o seu problema é azia ou refluxo, algo de que sofrem 16% dos doentes com azia. Tenha em conta que os profissionais advertem que esta doença é grave e que, se os doentes abandonarem o tratamento, podem ter complicações a médio e longo prazo.

Quando o tratamento é interrompido, os pacientes com refluxo sofrem recaídas dos sintomas. Por essa razão, as medidas de saúde e as mudanças de estilo de vida propostas são eficazes. 

Se tudo o resto falhar, são necessários fármacos que inibem a bomba de protões e suprimem a secreção gástrica ácida. Esta é certamente uma boa solução para controlar o refluxo. Embora, como já dissemos, também pode começar por perder 5% do seu peso corporal para ver se os sintomas desaparecem.

Na Atida Mifarma estamos empenhados no seu bem-estar e na melhoria da sua saúde. Assim, se tiver alguma dúvida sobre como reduzir a azia, escreva-nos nos comentários. Nós lemos tudo!

Reme Navarro Escrivá

Farmacêutica e Nutricionista. Licenciada em Farmácia na Universidade de Valencia no ano 2007, Licenciada em Nutrição na mesma universidade em 2009. Dedicada ao mundo da saúde e da farmácia há mais de 15 anos. De reunião em reunião, na Atida eu escrevo este blog sobre temas que considero interessantes para a saúde e cuidado pessoal.

0 comentários

Deixa o teu comentário

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *