Sabia que 40% das pessoas sofrem de algum tipo de alergia? Descubra no artigo seguinte quais são as alergias mais comuns e porque se desenvolvem. Vamos começar!

As alergias são consideradas como sendo a maior pandemia do século XXI. De facto, em menos de uma década, 50% da população irá sofrer desta desordem como resultado dos seus hábitos alimentares e da poluição. Embora na maioria dos casos não sejam graves, em outros podem ser fatais. Por essa razão, são um grande campo de estudo.

É possível desenvolver uma alergia a quase qualquer substância à sua volta e, como resultado, há um grande número de alergias diferentes. Junte-se a nós para uma visão geral sobre as suas origens e quais são as alergias mais comuns.

O que são as alergias?

As alergias são reações exageradas do corpo após exposição a uma substância que não deveria ser prejudicial para o seu organismo. A maioria das pessoas que entram em contacto com determinada substância não desenvolvem qualquer tipo de resposta. Contudo, aqueles com sensibilidades especiais, ou seja, os que sofrem de alergias, desenvolvem-na.

Quando uma pessoa alérgica é exposta a esse agente, o seu sistema imunitário acredita que ele irá causar danos ao organismo e produz uma reação. Combate-o como se fosse um agente patogénico.

A gravidade da alergia dependerá do indivíduo, uma vez que o sistema imunitário de cada pessoa responde de uma forma diferente. Por vezes a resposta imunitária é apenas inflamação, mas outras vezes pode ser muito desconfortável e até causar choque anafilático. Esta é uma situação que pode levar à morte.

Não existe um tratamento definitivo para as alergias. No entanto, é possível aliviar os sintomas e impedir os episódios.

Porque se desenvolvem as alergias?

O sistema imunitário trabalha para nos defender de substâncias perigosas e agentes patogénicos que nos deixam doentes. Por vezes, porém, também desenvolve imunidade a algumas substâncias que não constituem uma ameaça para o corpo. É nestes casos que se desenvolvem as alergias.

Alguns exemplos em que o corpo comete erros na sua resposta são com frutos secos ou pólen. Quando os vê como uma ameaça, produz anticorpos para os combater. Como resultado, com cada exposição a eles, ocorre uma resposta porque o sistema deteta uma infeção. Neste caso, o organismo combate um perigo e tenta eliminá-lo gerando histamina, que produzirá os sintomas de uma reação alérgica. 

Alergias mais comuns

Como sabe, o seu sistema imunitário pode desenvolver imunidade a qualquer tipo de agente ou substância no seu ambiente. É por isso que existem alergias tão raras como calor, sol, frio, água…

Mas não se preocupe, porque estes tipos de alergia não são habituais. Por esta razão, vamos dedicar esta secção aos tipos de alergia mais comuns com a maior incidência entre a população:

1. Alergia ao látex

Esta hipersensibilidade aparece contra as proteínas da árvore da borracha, da qual se deriva o látex. É uma substância que está presente em colchões, luvas, preservativos… Se for alérgico, deve evitar ser exposto a este tipo de produto.

Os sintomas habituais são erupção cutânea, vermelhidão e prurido. Além disso, podem por vezes piorar com olhos lacrimejantes, irritação da garganta, dificuldade em respirar…

2. Alergia ao pólen

É talvez a alergia mais comum e é geralmente causada por oliveiras, ciprestes, bananeiras e gramíneas. É difícil de prevenir, especialmente nos meses da Primavera. Mesmo assim, recomendamos-lhe que evite espaços abertos durante o dia e feche as janelas da sua casa.

É comum que pessoas com este tipo de reação alérgica tenham irritação ocular, corrimento nasal e nariz entupido, espirros, comichão no palato e no nariz… Por outras palavras, todos os sintomas típicos da rinite alérgica.

3. Alergia às picadas de insetos

Quanto às alergias às picadas de insetos, as mais comuns são as picadas de abelhas. No entanto, podem desenvolver-se quando mordidos por qualquer tipo de inseto. 

Quando picado, desenvolverá inchaço local no local da picada, tosse, dificuldade em respirar, aperto no peito, urticária generalizada… Estas são alergias que é importante manter sob controlo, pois podem terminar em choque anafilático.

4. Alergia ao pelo dos animais

O pelo dos gatos e dos cães causa frequentemente alergias num grande número de pessoas. Para evitar isto, devem manter-se afastados deste tipo de animais. Os sintomas são os mesmos da rinite alérgica.

A hipersensibilidade é causada pela inalação dos resíduos ou partículas de pelo que os animais derramam através da sua pelagem.

5. Alergia aos ácaros

Os ácaros têm um tamanho muito pequeno. Fazem parte dos aracnídeos e estão presentes em locais húmidos e poeirentos. Mais uma vez, os sintomas desta alergia são semelhantes aos da rinite, embora algumas pessoas tenham sintomas semelhantes aos da asma.

É possível encontrar ácaros em tapetes, móveis e roupa de cama. É portanto essencial cuidar da higiene destes elementos. Para evitar alergias, é necessário reduzir a quantidade de pó em casa.

6. Alergia aos bolores

Quanto às diferentes variedades de fungos, devemos destacar o bolor. Esta alergia desenvolve-se como resultado dos esporos que são libertados para se espalharem. A forma de o evitar é controlar o seu crescimento. Para o fazer, é necessário ter uma casa devidamente ventilada e evitar espaços húmidos e fechados.

Neste caso pode sofrer de problemas respiratórios e dos sintomas de rinite alérgica.

7. Alergia aos alimentos

Acontecem depois de comer determinados alimentos. As alergias alimentares podem desenvolver-se a qualquer tipo de alimento, embora algumas sejam mais comuns. Estas incluem: ovos, peixe, frutas, frutos secos, frutos do mar, leite, amendoins, trigo, soja ou leite.

Estas alergias afetam 3% da população e podem ser fatais. Alguns dos sintomas que normalmente causam são inchaço da língua, garganta, lábios e rosto, formigueiro e prurido na boca. Além disso, podem causar desmaios, diarreia, dores abdominais, náuseas, tonturas, vómitos, congestão nasal…

Se souber exatamente quão alérgico é a um determinado alimento, deve evitar comê-lo.

8. Alergias dermatológicas

As alergias de pele podem ser causadas pelo contacto com um metal como por exemplo, o níquel. Mas também ao entrar em contacto com perfume ou cosméticos, entre outros.

A gravidade dos seus sintomas dependerá dos alergénicos. Pode surgir urticária e inchaço na superfície da pele e por vezes outros sintomas relacionados com a rinite alérgica.

Nestes casos, é melhor evitar o contacto com os produtos ou substâncias que o provocam. É também essencial utilizar produtos especializados para acalmar a área e reduzir a inflamação.

As alergias são mais comuns nas crianças, mas uma vez desenvolvida uma alergia, esta pode acompanhá-lo durante toda a vida. Não existe uma cura exata, mas no caso das alergias mais comuns pode resolvê-la, evitando o contacto com os alergénios. Além disso, pode utilizar alguns produtos especificamente desenvolvidos para acalmar e melhorar a sua pele em caso de alergias cutâneas. Visite a nossa loja online e fique a conhecê-los.

 

Reme Navarro Escrivá

Farmacêutica e Nutricionista. Licenciada em Farmácia na Universidade de Valencia no ano 2007, Licenciada em Nutrição na mesma universidade em 2009. Dedicada ao mundo da saúde e da farmácia há mais de 15 anos. De reunião em reunião, na Atida eu escrevo este blog sobre temas que considero interessantes para a saúde e cuidado pessoal.

0 comentários

Deixa o teu comentário

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *