Sintomas, causas e que alimentos evitar contra o refluxo gastroesofágico

,
Refluxo. Mifarma

Sentes enjoo ou azia depois de comer? Esses sintomas podem indicar que sofres de refluxo esofágico. Queres saber por que é produzido e que alimentos deverias evitar? Vamos a isso!

Se às vezes não te sentes bem depois de comer, talvez esse desconforto esteja relacionado com o refluxo gastroesofágico. Essa doença aparece quando o conteúdo do estômago retorna ao esôfago e o ácido gástrico toca na mucosa que reveste o próprio esôfago, causando azia, refluxo, regurgitação ácida ou indigestão ácida.

Esta condição pode ocorrer de vez em quando e é muito comum. No entanto, a doença por refluxo gastroesofágico tem uma duração mais longa e também é mais grave. Continua a ler o nosso artigo e aprende mais sobre os sintomas e as causas do refluxo gastroesofágico!

Principais sintomas do refluxo gástrico

Quando o refluxo ocorre mais do que duas vezes por semana, pode ser considerado uma doença, que pode levar a problemas de saúde mais sérios com o passar do tempo. Assim, caso penses sofrer de doença por refluxo, é conveniente que consultes o teu médico.

Mesmo assim, vamos dar-te algumas orientações para que possas identificar os sintomas do refluxo e possas detetá-lo a tempo de avaliá-lo com a ajuda de um especialista. Entre as duas mais proeminentes estão: o sabor da comida até muito depois de comer e o ácido gástrico na parte posterior da boca.

Além disso, os sintomas mais comuns de refluxo são azia, ardor e dor a meio da barriga, do peito e atrás do esterno. No entanto, importa frisar que nem todas as pessoas com refluxo gastroesofágico apresentam azia.

Além do mencionado anteriormente, podem também ocorrer os seguintes sintomas:

  • Mau hálito.
  • Náusea.
  • Dor ou dificuldade em engolir.
  • Vómitos.
  • Desgaste dentário.

O conteúdo gástrico liberta ácidos que irritam a mucosa do esôfago, produzindo os sintomas mencionados e ainda ardor, azia, hipersalivação, regurgitação … como também pode irritar o trato respiratório e a garganta. Nesse caso, pode causar diminuição da voz, tosse, laringite, rouquidão, distúrbios do sono e asma (sintomas que podem ser agravados).

Causas do refluxo

Uma vez detetados os sintomas e a partir do momento em que possivelmente sabemos se temos ou não refluxo, podemo-nos perguntar o porquê. Bem, a principal causa do refluxo esofágico tem a ver com o esfíncter esofágico inferior, que atua como uma válvula. O mesmo relaxa ou enfraquece. Esta situação anormal estimula o conteúdo do estômago a subir até o esôfago.

O esôfago, auxiliado pela gravidade e por movimentos rítmicos, é responsável por levar os alimentos ao estômago. Aí, o esfíncter encarrega-se de regular a passagem do alimento: abre-se para permitir a entrada do bolo alimentar e fecha-se para evitar que o mesmo regresse à sua origem.

O refluxo ocorre quando esta válvula abre quando não deveria e permite que o conteúdo gástrico se mova em sentido contrário.

Este enfraquecimento ou relaxamento do esfíncter ocorre por diferentes razões:

– Aumento de pressão na barriga devido à obesidade, sobrepeso ou gravidez.

– Consumo de alguns medicamentos, entre eles: aqueles indicados para o tratamento da asma, bloqueadores dos canais de cálcio, anti-histamínicos, sedativos, analgésicos ou antidepressivos.

Fumar ou ser fumador passivo.

– Ter uma hérnia de hiato.

O esvaziamento lento do estômago é outra causa do refluxo, pois quanto mais tempo o alimento permanece no estômago, maior a probabilidade de apresentar os sintomas associados a essa doença.

Em que situações se deve consultar um médico?

Caso tenhas sintomas persistentes de refluxo gastroesofágico que não melhorem apesar das mudanças no teu estilo de vida, alimentação e medicamentos de venda livre, é aconselhável que consultes o teu médico.

Desde Mifarma recomendamos que contactes os serviços de saúde se vomitares em grandes quantidades ou com regularidade ou se vomitares líquido (com sangue, com aspeto parecido a grãos de café e de cor verde ou amarelo), se tiveres problemas para respirar após vomitar ou se tiveres dificuldades em engolir.

Além disso, não te deves esquecer de que alguns dos sintomas da doença do refluxo gastroesofágico provêm das complicações associadas, sem esquecer as que também afetam os pulmões.

Que alimentos devo evitar se tenho refluxo?

Se sofres de refluxo, a tua alimentação deve ser variada e equilibrada. Deves incluir carnes brancas, vegetais e frutas. No entanto, é aconselhável evitar o consumo de alimentos de difícil digestão ou que possam irritar o estômago (gordurosos ou picantes, como pimenta ou tabasco).

O tratamento passa por fazeres pequenas mudanças nos teus hábitos alimentares, porque os alimentos que consomes podem afetar a quantidade de ácido que o teu estômago produz.

Como consequência, limitar ou evitar certos tipos de alimentos que podem agravar essa condição ajudará a melhorar os sintomas em algumas pessoas. Mas quais são os alimentos que deves evitar pelo facto de poderem agravar o refluxo?

 

– Gorduras e preparações que as contenham. Essas retardarão a digestão, fazendo com que a comida fique mais tempo no estômago, o esvaziamento seja retardado e, como consequência, a produção de ácido e a probabilidade de refluxo aumentem. Por isso, recomendamos que evites consumir carnes vermelhas, charcutaria, molhos (maionese, tomate …), batatas fritas, salgados, comida industrial, pizzas, bolos, todo o tipo de pastelaria industrial, queijos amarelos, banha de porco, leite e derivados, bacon e qualquer outro tipo de fritos.

 

– Cafeína. É um estimulante que favorece o refluxo, porque irrita o estômago. Está presente no café, em diferentes variedades de chá (preto, verde, mate), bebidas energéticas, chocolate ou achocolatados e refrigerantes como coca-cola.

 

– Bebidas com gás. Água com gás ou refrigerantes podem irritar a mucosa e aumentar o refluxo.

 

– Bebidas alcoólicas. Principalmente as fermentadas, como é o caso da cerveja ou do vinho. O motivo é que aumentam a secreção de ácido gástrico, o que aumenta a probabilidade de irritar o estômago.

 

– Molhos picantes, pimentas e outros condimentos semelhantes. Cubos de caldo de carne ou frango ou outros condimentos do mesmo género irritam o estômago e aumentam a acidez.

 

– Produtos com sabor a menta. A menta pode irritar a mucosa e, consequentemente, pode causar refluxo.

 

Pessoas que sofram de esofagite também devem evitar o consumo de alimentos cítricos (abacaxi, lima, limão, laranja, kiwi, tangerina ou tomate, entre outros), pois podem causar dor e desconforto.

Da mesma forma, recomenda-se reduzir o consumo de cebola, alho, açúcar, fritos, leguminosas preparadas com charcutaria, vinagre ou alimentos ricos em amido. E quando se trata de consumir frutas ricas em gorduras, como o coco ou o abacate, deves ter algum cuidado caso sejas intolerante aos mesmos.

Em vez disso, são recomendados laticínios com baixo teor de gordura, gordura insaturada, peixe branco e todos os vegetais, exceto pimento e tomate. Quanto ao melhor método de preparação dos alimentos, opta pela cozedura a vapor, pelo forno ou grelhador.

Como podes ver, é possível prevenir e aliviar os sintomas conhecendo as causas que produzem o refluxo gastroesofágico fazendo, simplesmente, pequenas mudanças na tua alimentação. Se achaste este artigo interessante, continua ligado ao nosso blog para mais dicas e informações relacionadas com a saúde!

Reme Navarro Escrivá

Farmacêutica e Nutricionista. Licenciada em Farmácia na Universidade de Valencia no ano 2007, Licenciada em Nutrição na mesma universidade em 2009. Dedicada ao mundo da saúde e da farmácia há mais de 15 anos. De reunião em reunião, na Atida eu escrevo este blog sobre temas que considero interessantes para a saúde e cuidado pessoal.

0 comentários

Deixa o teu comentário

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *