Tipos de radiação solar, quais são e como afetam a nossa pele? 

,
camadas pele tipos radicaçoes

Uma vez que estamos no verão, queremos abordar um tema que te poderá interessar bastante. Esta estação é propícia ao calor e, consequentemente, expomo-nos mais frequentemente ao sol, seja a caminhar pela rua ou de férias na praia. Hoje, em Mifarma, contamos-te um pouco mais sobre o sol, especificamente sobre a radiação solar. Continua a ler o nosso artigo e contamos-te tudo o que precisas de saber!

O que é a radiação solar? 

A radiação solar é um termo bastante comum que provavelmente já conheces, mas sabes o que realmente significa? É óbvio que a radiação solar provém da maior estrela que conhecemos, o Sol. Este tipo de radiação é emitida por um conjunto de radiações eletromagnéticas. Produzem-se ao criar uma fusão nuclear dentro do sol. Este, por sua vez, produz uma perda de massa que se transforma em energia. Essa mesma energia é depois transmitida à Terra em forma da conhecida “radiação solar”

Quantos tipos de radiações solares existem?

Conheces muito provavelmente alguns dos tipos de radiações emitidas pelo sol, como a radiação ultravioleta. Além da radiação ultravioleta, o sol emite vários outros tipos de radiações:

  • Raios gama
  • Raios X
  • Ultravioleta C
  • Ultravioleta B
  • Ultravioleta A
  • Raios visíveis
  • Infravermelhos A
  • Infravermelhos B
  • Infravermelhos C

As radiações mais curtas, como os raios gama, raios x, ultravioleta C e infravermelho B e C desaparecem completamente assim que chegam à alta atmosfera da Terra. Por outras palavras, à superfície da nossa Terra, chega unicamente uma parte das radiações ultravioleta B (UVB), ultravioleta A (UVA), visível (VIS) e infravermelho A.

Como afeta a pele? 

As radiações que penetram as camadas da Terra e chegam até nós podem causar certos efeitos na nossa saúde. É certo que não são as radiações mais perigosas, mas deves na mesma adotar algumas precauções.

  • Ultravioleta A: da radiação ultravioleta, o tipo A é o que chega à Terra em maioria. Costuma estar presente durante todo o ano e tem a capacidade de penetrar profundamente na pele e atingir 50% da derme. Este tipo de radiação provoca oxidação solar, ou seja, uma espécie de “bronzeado”. Este tipo de radiação é muito utilizada e comum em lâmpadas de centros estéticos. Entre os danos que pode provocar na pele, encontra-se o chamado fotoenvelhecimento. O fotoenvelhecimento é o aparecimento de rugas, de manchas e de flacidez na pele. Por outro lado, a longo prazo, também pode causar cancro da pele.
  • Ultravioleta B: este tipo de radiação penetra até 15% da derme e 85% costuma ficar pela derme. Embora pareça que não é uma percentagem muito elevada, este tipo de radiação é bastante perigoso. A ultravioleta B é a  principal causa das queimaduras solares e do cancro da pele. 
  • Infravermelho A: este tipo de radiação mantém a Terra quente e proporciona-nos a sensação de calor. É a grande causa das “ondas de calor” e insolações, que provavelmente conheces se vives em zonas muito quentes de Portugal. Pode produzir a oxidação, ou seja, o envelhecimento da pele. Não é a causa principal do cancro da pele, embora contribua para o mesmo conjuntamente com as radiações UVA e UVB.
  • Luz visível: o termo fotossíntese diz-te alguma coisa? Este tipo de radiação é responsável pela produção de fotossíntese por parte das plantas. A luz invisível constitui 40% da radiação que chega à Terra. As suas consequências na pele são semelhantes às da radiação UVA.

Evita as queimaduras provocadas pela radiação solar

A conclusão que deves ter retirado do que publicamos é que a radiação solar é bastante nociva, mas não te preocupes, é tudo uma questão de proteger-se corretamente. O básico que todos conhecemos é que: 

  • Devemos evitar o horário de máxima exposição da radiação: entre o 12h00 e as 16h00 (inclusive no inverno).
  • Devemos proteger-nos do sol com chapéus, tee-shirts e óculos. Em Mifarma, temos vários modelos de óculos de sol disponíveis que te poderão ajudar a proteger-te do sol.
  • Procura sempre lugares com sombra.
  • Utiliza protetores solares com SPF elevados. O recomendado é entre  SPF30 e SPF50, e aplica-o 30 minutos antes de sair de casa. Poderás encontrar vários protetores solares aqui.

Outros métodos menos comuns, mas também eficazes são: 

  • Antioxidantes orais: são um suplemento aos cremes solares para uma proteção total. Além disso, este tipo de suplementos costuma favorecer o bronze da pele. Podes consultar os suplementos que temos disponíveis na nossa página online.  
  • Antioxidantes naturais: para um tratamento natural da pele, recomenda-se comer 5 porções de frutas e legumes.
  • Vitamina C: que se pode encontrar tanto em certos tipos de frutas (citrinos), como em suplementos orais. Ajuda a estimular a síntese de colagénio, além de contribuir para a elasticidade da pele.

Em Mifarma, esperamos que esta publicação tenha respondido a todas as tuas questões relativas à radiação solar. Embora a radiação solar nos cause algum medo, se utilizares a proteção adequada, poderás ir onde e quando quiseres sem qualquer problema!

Reme Navarro Escrivá

Farmacêutica e Nutricionista. Licenciada em Farmácia na Universidade de Valencia no ano 2007, Licenciada em Nutrição na mesma universidade em 2009. Dedicada ao mundo da saúde e da farmácia há mais de 15 anos. De reunião em reunião, na Atida eu escrevo este blog sobre temas que considero interessantes para a saúde e cuidado pessoal.

0 comentários

Deixa o teu comentário

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *